Mobilidade acadêmica: quando e como trocar de universidade?

Você sabia que é possível estudar em duas universidades durante a sua formação acadêmica? A mobilidade acadêmica permite que os estudantes possam cursar um período em cada universidade, seja no Brasil ou no exterior, inclusive com bolsas de estudo

O fato é que a mobilidade acadêmica permite que os estudantes experimentem outros métodos de ensino e, quando realizadas no exterior, ainda aprimorem o seu conhecimento em outro idioma. Além disso, possibilita que eles tenham contato com pessoas do mundo todo, conhecendo também novas culturas.

Mobilidade Acadêmica

A mobilidade acadêmica nada mais é do que o afastamento do estudante da sua universidade de origem, por tempo limitado, para realizar parte de seus estudos em outra universidade, seja ela no Brasil ou no exterior.  

Como funciona a mobilidade acadêmica? 

Os programas de mobilidade acadêmica permitem que o estudante opte por instituições de ensino nacionais ou internacionais, como forma de vinculação temporária pelo prazo estipulado e na forma de convênios ou acordos de cooperação entre as Instituições. 

Os estudantes podem optar por fazer uma mobilidade acadêmica devido à motivos de mudança de cidade, de estado ou do país ou então simplesmente pela oportunidade de estudar em alguma universidade que seja referência na sua área.

A mobilidade acadêmica funciona de duas formas: os estudantes podem optar por realizar uma mobilidade acadêmica por conta própria e arcando com todos os custos ou concorrendo a uma bolsa de estudo através dos programas de intercâmbio vinculados a sua universidade, onde parte das despesas são pagas. 

Como participar da mobilidade acadêmica? 

As universidades, normalmente, estabelecem alguns requisitos para o estudante solicitar a mobilidade acadêmica, estes que podem variar de uma instituição de ensino para a outra. Abaixo, listamos alguns dos principais critérios estabelecidos: 

  • Estar regularmente matriculado no seu curso;
  • Ter integralizado pelo menos 10% dos créditos de seu curso, no caso de curso do regime por disciplinas, ou pelo menos 50% da carga horária integrante da 1ª série do curso, no caso de curso do regime seriado;
  • Comprovar ter sido selecionado em programa de mobilidade acadêmica do qual a sua universidade de origem participe;
  • Elaborar um plano de trabalho para mobilidade acadêmica, que especifique as atividades que serão realizadas na instituição recebedora, incluindo a lista de disciplinas que o estudante pretende cursar;
  • Ter o aceite de um professor da sua universidade de origem para que ele atue como tutor do aluno enquanto ele estiver fora, sendo responsável por orientá-lo quanto ao seu plano de trabalho;
  • Ter a aprovação da coordenação do seu curso.

Os procedimentos variam de acordo com o programa ou edital específico e, caso algum dos critérios não forem atendidos, as universidades podem negar o pedido de mobilidade acadêmica. Dessa forma, é sempre importante observar os requisitos específicos de cada programa ou edital.

Como validar as disciplinas cursadas durante a mobilidade acadêmica? 

O ideal é que antes de entrar na mobilidade acadêmica, o estudante converse com o coordenador do seu curso da sua universidade de origem para analisar as disciplinas que a instituição recebedora oferece, para que futuramente elas sejam passíveis de concessão de equivalência e consequente dispensa na universidade de origem.

Após a mobilidade acadêmica, ao retornar para a universidade de origem, o estudante deve solicitar o aproveitamento das disciplinas cursadas na instituição. Desde que haja equivalência nas disciplinas compatíveis com a grade curricular do curso de origem, o estudante receberá um certificado comprobatório de todas as disciplinas cursadas, com notas, frequências e resultados finais obtidos. 

Programas de Mobilidade Acadêmica

Ficou interessado em fazer uma mobilidade acadêmica? Então você deve primeiro ir ao departamento da sua universidade que é responsável por esses acordos, normalmente eles são chamados de departamento de Mobilidade Acadêmica ou de Relações Internacionais, e conferir com quais instituições de ensino a sua universidade tem parceria.

Mobilidade Nacional

Os principais programas de mobilidade nacional são o Programa ANDIFES de mobilidade acadêmica e o Programa de Mobilidade Nacional Santander Universidades/ANDIFES. 

O primeiro, trata-se de um convênio firmado entre as Instituições Federais de Ensino Superior (IFES) e a Associação Nacional dos Dirigentes das Instituições Federais de Ensino Superior (ANDIFES) desenvolvido para regular a relação de reciprocidade entre as IFES proporcionando a mobilidade de estudantes de graduação que terão vínculo temporário com a IFES receptora, dependendo, para isso de disponibilidade de vaga e das possibilidades de matrícula na(s) disciplina(s) pretendida(s). 

Por outro lado, o Programa de Mobilidade Nacional Santander Universidades/ANDIFES é um convênio firmado entre ANDIFES e o Banco Santander para apoiar o Programa ANDIFES de Mobilidade Estudantil destinado a alunos de graduação. As regras e os procedimentos são os mesmos Programa ANDIFES, entretanto, o programa destina-se apenas aos estudantes que optem por IFES localizadas em Estado de Federação diferente da IFES de origem.

Mobilidade Internacional

O Ciências Sem Fronteiras é o principal programa de mobilidade acadêmica internacional. Ele é uma iniciativa do Ministérios da Ciência, Tecnologia e Inovação (MCTI) e do Ministério da Educação (MEC), por meio de suas respectivas instituições de fomento – CNPq e Capes –, e Secretarias de Ensino Superior e de Ensino Tecnológico do MEC. 

O programa é voltado aos alunos de graduação e de pós-graduação, possibilitando que eles façam a modalidade no exterior por meio de Graduação e Doutorado Sanduíche, Doutorado Pleno e Pós-Doutorado. 

Para ficar por dentro do programa, basta acessar o portal do Programa Ciência sem Fronteiras, onde estão disponibilizados os requisitos para candidatura, áreas contempladas, benefícios e duração da bolsa.

O que achou das nossas dicas sobre mobilidade acadêmica? Compartilha com a gente a sua opinião. 

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *