O que é musicoterapia, o que estuda e qual sua importância

o que é musicoterapia

É constante a busca por alternativas terapêuticas para quem precisa. Uma dessas terapias que é associada à música combinada com a neurociência, é a musicoterapia. Mas você sabe o que é musicoterapia? Vamos falar sobre ela agora.

Primeiramente, temos que entender que a música de um modo geral sempre nos despertou vários sentimentos. Seja de saudade, felicidade ou tristeza. E por que não aproveitar essa reação às músicas para trabalhar nossas questões emocionais? A musicoterapia também é sobre isso.

Antes de mais nada, ela já atua com fins terapêuticos desde os primórdios e tem benefícios registrados em diversas culturas.

Muitas áreas da musicoterapia podem ser trabalhadas por profissionais formados em Fisioterapia. A Estácio tem o curso de Fisioterapia presencial com duração de 5 anos. Conheça aqui outros cursos da Estácio e saiba mais sobre outros mercados de trabalho.

O que é musicoterapia

Musicoterapia é uma técnica terapêutica utilizada para o tratamento, reabilitação e prevenção de diversas doenças. É definida, segundo a World Federation of Music Therapy (WFMT), como a utilização profissional da música e seus elementos, para a intervenção em ambientes médicos, educacionais e cotidiano com indivíduos, grupos, famílias ou comunidades.

É usada em reabilitações e problemas de aprendizagem. Também para melhorar a qualidade de vida de idosos ou pacientes com alguma doença crônica. Ainda, pode ajudar qualquer pessoa que esteja passando por alguma situação, como dependentes químicos ou menores infratores.

A música ativa diversas regiões diferentes do cérebro, como: cerebelo, córtex visual, pré-frontal, motor e o hipocampo. Por conta disso, ela consegue influenciar em pacientes com Alzheimer, sequelas de Acidente Vascular Cerebral (AVC) ou outras doenças neurodegenerativas.

Ela pode influenciar positivamente na qualidade de vida e na melhora de diversas condições como a física, social, comunicativa, intelectual e espiritual. Além disso, atua na saúde e bem-estar dos pacientes.

É considerada uma profissão da área da saúde e tem inúmeras aplicabilidades. Os pacientes podem ser de todas as idades.

A terapia feita com música pode utilizar tanto canções que tenham letra ou que sejam somente instrumentais. Além disso, também é feita através dos instrumentos como violão, flauta e percussão. Neles os pacientes expressam suas emoções através dos sons.

O que pode fazer um profissional de musicoterapia

Agora que você já sabe o que é musicoterapia, vamos falar sobre o tipo de trabalho que esse profissional desenvolve.

A musicoterapia clínica é o atendimento a idosos, crianças com dificuldade de aprendizagem, pessoas com deficiência ou outros pacientes com problemas neurológicos e emocionais.

Pode fazer também a chamada psicoprofilaxia, que é prevenir problemas emocionais em diversos grupos como: adultos, crianças, gestantes e idosos.

O musicoterapeuta pode atuar na reabilitação de dependentes químicos ou menores abandonados.

Pode também atuar na sonorização, criando projetos em ambientes industriais, escritórios ou estabelecimentos comerciais para diminuir o risco de estresse dos funcionários ou estimular o crescimento pessoal e profissional destes.

Como é o curso de musicoterapia

É um curso de bacharelado com duração em média de 5 anos, tanto em universidades públicas quanto privadas. 

Como mencionamos em o que é musicoterapia, ela tem a ver com música e neurociência, sendo assim, sua grade curricular tem diversas disciplinas como: história da música, percepção musical e neuropsiquiatria. É obrigatório fazer estágio e monografia no fim do curso.

Muitas universidades possuem clínicas e hospitais-escola onde o estudante pode colocar em prática seus aprendizados durante o curso com atendimentos à comunidade.

Por mais que não seja obrigatório ter conhecimento musical, é recomendado que o estudante que ingressar no curso de musicoterapia tem familiaridade com a linguagem musical.

Como é o mercado de trabalho da musicoterapia

Em 2017 foi criada pelo Ministério da Saúde, a Política Nacional de Práticas Integrativas e Complementares (PICs) do SUS – Sistema Único de Saúde. Dessa maneira, o atendimento de musicoterapia passou a ser oferecido na rede pública de saúde, aumentando a demanda por profissionais formados na área.

Sendo assim, o musicoterapeuta pode fazer concurso para entrar na rede pública de saúde ou tentar oportunidades em clínicas de reabilitação, Organizações Não Governamentais (ONGs) ou até clínicas para dependentes químicos e lares de idosos.

Pode também atuar em alas de pediatria, geriatria e oncologia de hospitais. Além disso, também tem habilitação para trabalhar em escolas privadas com crianças com dificuldades de aprendizado, autistas, com síndrome de Down, entre outros.

Outra área de atuação são as empresas privadas, com a musicoterapia organizacional. Este tipo de prática ajuda os funcionários a melhorarem a comunicação e saúde integral da equipe de trabalho. Também, em comunidades, pode atuar na musicoterapia comunitária.

O profissional de musicoterapia pode atuar junto a psicólogos, fisioterapeutas, fonoaudiólogos, terapeutas ocupacionais e outras profissões que atuam na área de reabilitação.

As maiores oportunidades para esse profissional estão na Região Sudeste. Porém nos estados onde existe o curso, acaba existindo mais oferta, como em Goiás, no Paraná e no Rio Grande do Sul.

E você, gostou do curso? Conta pra gente se você já conhecia o que é musicoterapia!

Leave a Reply

Your email address will not be published.